terça-feira, 30 de setembro de 2014

Em Oliveira: Profissão Perpétua!

"Um sim por amor e vocação!"

Ir. Lucivânia Conceição emitiu seus votos Perpétuos na Congregação das Irmãs Apostolinas, no dia 28 de setembro, em Carmópolis de Minas. Um SIM por amor e vocação!
A Celebração foi presidida pelo Ex.mo Rev.mo Dom Miguel Angelo, nosso Bispo diocesano. Estavam presentes, padres diocesanos e religiosos, Irmãs e Irmãos da Família Paulina, e de outras congregações presentes na Diocese; e inúmeros leigos que lotaram o Poliesportivo de Camópolis.
A liturgia foi propícia, Dom Miguel ressaltou o valor da obediência e convidou a um sim generoso.
"Com os corações em festa" nos reunimos para celebrar, porque uma vocação é dom para toda a Igreja e par ao mundo. Todo aquele povo, testemunha do do SIM da Ir. Lucivânia, é prova de que jamais podemos nos esquecer do "dom de Deus, que cada um de nós é para o mundo", como disse o Pe. Wellington, no primeiro dia do tríduo vocacional.
Ir. Lucivânia, juntamente com sua irmã de sangue e de Congregação Ir. Luciana, são testemunhas de que o "vento sopra onde quer, você escuta o seu som, mas não sabe de onde vem, nem para onde vai; assim ocorre com todos os nascidos do Espírito" (Jo 3,8). Nascidas no interior da Bahia na divisa com Sergipe, as duas irmãs não tiveram, durante a infância, oportunidades de frequencia nos sacramentos, somente tinham missa uma vez ao ano, mas ali Deus que é bom, elegeu e consagrou duas religiosas em uma mesma família. Aqueles que tem a vida como dom sabem onde e como ver Jesus!
Obrigado, Ir. Lucivânia por seu SIM, que ele seja generoso!
Louvemos a Jesus em seus mistérios de amor e peçamos a Maria Rainha dos Apóstolos que rogue ao Senhor por nossa Ir. Lucivânia e por sua Congregação!







 

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Eles também foram chamados!

José- Primeiro ministro
José depois de ter ficado preso foi chamado à presença do Faraó e explica-lhe seus sonhos, agradando-lhe muitíssimo: "Poderíamos, disse-lhe ele, encontrar um homem que tenha, tanto como este o espírito de Deus? [...] Tu mesmo será posto à frente de toda a minha casa [...] só o trono me fará maior que tu. Eis que te ponho à frente de todo o Egito." (Gn 41)
O Senhor é fiel, por isso cremos, como declara São Paulo que "as aflições deste tempo presente, não se podem comparar com a glória que será revelada". Tudo que aqui vivemos conduz-nos a um único fim: A GLÓRIA, que nada é senão o pleno amor de Deus, somente Ele pode fazer-nos grandes.
José atrai os bons olhos do Faraó por possuir o "espírito de Deus". Caros vocacionados, há em vós este espírito? Ou vos deixais atrair pelo espírito do mundo com suas seduções e prazeres? 
O que nos concede o Espírito de Deus? Sabedoria, foi esta sublime virtude que levou José ao mais alto posto do Egito, é a sabedoria que leva cada cristão a buscar o que de mais auto há:  O REINO  de amor e paz que começa aqui e plenifica-se na união total da alma com Deus seu Criador. Eis a nossa vocação: o amor; a nossa meta: o Céu; o meio: a sabedoria.
Vale lembrar que a sabedoria vem de Deus e a conquista quem fielmente trata de amizade com Ele.
O que você está esperando, busque as alturas é lá que está toda vocação!


segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Eles também foram chamados!

José
Seus irmãos vendo que seu pai o preferia a eles, conceberam ódio contra ele e não podiam mais tratá-lo com bons modos [...] combinaram entre si como o haviam de matar. [...] Quando José se aproximou de seus irmãos, eles o despojaram de sua túnica e o lançaram em uma cisterna, que não tinha água. [...] Levantando os olhos, viram surgir no oriente uma caravana de ismaelitas [...] "vinde vandamo-lo aos ismaelitas!" Venderam-no por 20 moedas de prata. (Gn 37)
O que pensar dos irmãos de José? Como puderam vender o próprio irmão como escravo?
Percebe-se claramente o ciúmes e a inveja que os irmãos de José reinam, frutos do pecado original que coloca o homem contra os outros, até mesmo contra aqueles que ama e também contra si mesmo, porque o mel feto ao outro também atinge quem faz. Mas Deus é bom!
As vezes a pessoa é levada a olhar e desejar somente o que os outros têm, esquecendo-se dos dons e maravilhas que o Senhor realiza e sua vida.
Que maravilhas Ele tem realizado na tua vida? Já parou para pensar nisso, qual a tua vocação?
Em alguns casos a realização ou a descoberta de uma vocação exigirá dor e renúncias, como foi para José e para alguns personagens já citados e também outros que ainda serão. José foi vendido como escravo e Deus não o teria permitido se não fosse para tirar dai um bem maior.
Se a vida hoje te exige dor e renúncias, é porque Deus está preparando algo maior para ti! 

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Em Oliveira: Missão!

"Ide e anunciai o Evangelho a toda criatura!"
Quando saímos em missão, somos enviados como evangelizadores, mas a verdade é que somos nós os evangelizados!
Do dia 1º ao dia 14 de setembro realizamos na cidade de Carmópolis de Minas, e em suas comunidades rurais, uma missão em preparação para a profissão perpétua de Ir. Lucivânia Conceição da Congregação das Irmãs Apostolinas, fundada pelo Beato Tiago Alberione.
No fim de semana do dia 12 ao 14 fomos enviados às comunidades rurais, uma experiência belíssima! Tive a oportunidade e a honra de conhecer uma senhora de 83 anos que mora em uma chácara na Zona Rural Japão Grande. Sua casa era extremamente pobre, tinha apenas alguns banquinhos, camas e um fogão a lenha; suas roupas sujas e rasgadas, mas o seu semblante... Ah! Inspirava uma riqueza profunda e creio que se tivesse entrado em um palácio não poderia jamais, ser melhor recebida! Fiquei em sua casa por cerca de quarenta e cinco minutos e ela não fechou, por um só minuto, o sorriso com o qual a encontrei, as vezes ela levava a mão ao rosto envergonhada ou emocionada, não sei, poderia ter ficado todo o dia com ela, falando "a toa", do dia a dia, da roça, das galinhas!
Saí de lá com o coração feliz, porque vi meu Amado, no olhar e no sorriso daquela mulher, tão simples, mas tão cheia de Deus! E hoje ao escrever estas linhas pergunto-me: Meu Senho, "que me adiantaria possuir o mundo inteiro se viesse a perder-te"? Os que amam a Deus sabem que a vida é bela!
Venha você também, alegrar-se por ver o Cristo nos irmãos, venha ser uma Irmã Oblata do Menino Jesus!
Ir.Maria Elisângela, OMJ



segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Eles também foram chamados!

Jacó e o Anjo
Alguém lutava com ele até o romper da aurora. Vendo que não podia vence-lo, tocou-lhe aquele homem na articulação da coxa [...] E disse-lhe: "Deixa-me partir" - "Não te deixarei partir, respondeu Jacó, antes que me tenha abençoado" [...] "Teu nome não será mais Jacó, tornou ele, mas Israel, porque lutaste com Deus e com os homens e venceste." (Gn 32)
A luta de Jacó com o Anjo é, frequentemente, comparada com a oração, porque está é luta; nem sempre é fácil orar, mas é uma luta que vale a pena: "lutaste e venceste!"
Sabe-se que toda vocação nasce e alimenta-se da oração, porém, esta é uma prática que vem perdendo o seu real sentido em nosso tempo, que prega o ativismo e a alienação, a fuga do silêncio e da verdade.
Caros vocacionados a oração é o lugar do doce diálogo com o Senhor, é lá que cada pessoa pode colocar-se bem perto do seu Coração chagado e Dele aprender a amar. A pessoa que se dispõe a rezar e busca transformar em vida a oração "vence" a Deus que derrama-se todo inteiro sobre o coração adorador. 
Aquele que se entrega à oração vê "brotar água da rocha e em seu favor cai o maná do Céu".
A oração é a firme certeza de que o Senhor nos ouve, é força na caminhada, lugar do encontro amoroso entre a alma que "suspira pelas águas correntes", e Deus "a fonte de água viva!"
Orai e eu vos garanto Ele virá aos vossos corações, nele fará morada e que sublime convívio se dará!

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Congregação Irmãs Oblatas do Menino Jesus



Conheça um pouquinho de nós!

"O Verbo se fez carne." Jo 1,14

    Jesus recém-nascido, não fala mas é a Palavra eterna do Pai. Já se disse que o presépio é uma cátedra. Nós deveríamos hoje entender as lições que Jesus nos dá já desde menino, desde recém-nascido,desde que seus olhos se abriram para a terra dos homens.
   A fé da Virgem Maria era a mais perfeita do que a de qualquer outra pessoa que tenha existido antes ou depois dela. E todos os seus gestos hão de ser expressão da sua fé e da sua ternura. Beijaria sem dúvida os pés do Menino Jesus porque era o seu Senhor; Beijaria o seu rosto, porque era o seu filho. Ficaria muito tempo contemplando-o quietamente. Depois, passaria o Menino aos braços de José, que sabia muito bem que se tratava do Filho de Deus, de quem deveria cuidar, a quem deveria proteger e ensinar um ofício. Toda a vida de José estaria centrada nesta Criança indefesa.
    Quando nos aproximamos hoje do Menino Deus para beija-lo, quando o contemplamos no presépio meditamos este grande mistério, agradecemos a Deus o seu desejo de descer até nós para se fazer entender e amar.
     Na encarnação, o Filho de Deus se apresentou na condição de uma débil e frágil criança, embora tivesse podido manifestar-se de outra forma, preferiu a debilidade de uma criança, como se necessitasse de proteção e amor. Deus quis que nós, imitando o seu Filho, nos comportássemos como aquilo que somos: filhos de Deus, e que o sejamos na realidade.
     
Oração
Ó Verbo eterno, meu Salvador, que eu não ponha
 nunca obstáculo a tua obra, que a minha alma
 se abra à invasão do teu infinito 
amor misericordioso, 
que tu possas totalmente 
cumprir em mim a tua 
obra de Salvação 
e Santificação. Amém.

Menino Jesus, abençoai-nos.

          

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Em Oliveira: II Jornada de Diocesana de Catequese

Celebramos no dia 31 de agosto a II Jornada Diocesana de catequese com o tema "Catequista pessoa de fé". Estavam presentes catequistas representantes de 27 das 29 paróquias da Diocese.
A Jornada reuniu cerca de 700 catequistas, em um encontro de muita alegria, ação de graças pela vocação recebida, e oração.
Que o Senhor continue a animar e motivar estes ardorosos corações, com o fogo de seu amor!




















Eles também foram chamados!

A benção a Jacó
Isaac envelhecera e seus olhos enfraqueceram-se de modo que não podia ver [...] Rebeca disse a Jacó, seu filho: "Acabo de ouvir teu pai dizer a teu irmão Esaú para que lhe traga uma caça e lhe prepare um bom prato, a fim de comer e o abençoar diante do Senhor antes de morrer [...] Vai ao rebanho e traze-me dois belos cabritos, tu lho levaras e ele comerá, a fim de que te abençoe antes de morrer" [...] Jacó foi para frente de seu pai e disse-lhe: "Meu pai! Eis-me aqui" [...] "Aproxima-te então, meu filho, para que eu te apalpe e veja se, de fato, és o meu filho Esaú" [...] E não o reconheceu, porque as suas mão estavam peludas como as de seu irmão Esaú. 
E abençoou-o (Gn 27)
 Esaú havia vendido, por lentilhas, sua primogenitura, o direito à benção. Rebeca, mulher de Isaac, tinha Jacó por "preferido", talvez, porque ele ficasse mais tempo com ela; e providenciou, então, os meios para que Jacó recebesse a benção, em lugar de Esaú. Deus serviu-se disso para um bem maior, como em mutos outros episódios; como também foi na cruz. De acordo com a tradição, Esaú era o favorito, mas Deus havia eleito Jacó, e sempre é assim, os plano d'Ele são diferentes dos nossos, e melhores também.
Durante a vida cada pessoa depara-se com situações de eleição, em que Deus, vai quebrando paradigmas, mudando o curso, para mostrar a sua divina vontade. Jacó precisou fugir da fúria de seu irmão, quantas vezes também nós, precisamos mudar o rumo da vida, e então, descobre-se que o Senhor quer algo novo, quer mais; mas para isso, é necessário sair do comodismo, ousar e buscar com todas as forças a benção. Aos olhos de Deus todos somos PRIMOGÊNITOS. Vai então, traze-lhe um prato suculento a fim de receber a benção. Toma as vestes da salvação, que exalam o bom odor de Cristo o primogênito do Pai e, vivendo assim, como outro Cristo verás a graça e a benção de Deus em tua vida de modo que possas exclamar com Paulo: "Já não sou eu que vivo, é Cristo que vive em mim!"
Deus quer te abençoar!

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Sou Oblata, sou feliz!

“Vimos sua estrela o Oriente e viemos adorá-lo!” (Mt 2,2)

Também nós vimos a estrela que brilha no Oriente indicando o caminho que conduz a Jesus. Nosso Carisma funda-se na CONTEMPLAÇÃO do Verbo encarnado, IMITANDO suas virtudes de SIMPLICIDADE, HUMILDADE E PEQUENEZ. A verdadeira oblação é aquela da OFERTA, que se faz SACRIFÍCIO, por isso, seguimos a Cristo “de Belém até o Calvário”, buscando de todo coração com Ele nos imolar “para a glória de Deus e a salvação das almas”.
A vivência do Carisma gera uma espiritualidade e uma missão, que caracterizam a Congregação. Assim, as Irmãs Oblatas cultivam em si a MATERNIDADE ESPIRITUAL, à exemplo de Maria, primeiro para com o próprio Menino Jesus, a quem CONTEMPLAM e IMITAM, e do qual desejam ser as NUTRIZES; e depois para com os filhos e filhas de Deus, fazendo com que o mesmo Pequenino de Belém nasça e cresça em cada coração.
Como não é possível amar o que não se conhece, nem levar o que não tem; toda Irmã é convidada a nutrir o amor e fazer Jesus nascer e crescer, primeiro em seu próprio coração, por meio da ORAÇÃO confiante e simples, na busca sincera de um crescimento espiritual na participação do Santo Sacrifício do Altar e na busca da verdadeira contrição no sacramento da reconciliação. Assim, a vida Fraterna torna-se o lugar do encontro e da doação uma “Nova Belém” onde Cristo nasce e renasce a cada instante e aqui vem habitar. Não fomos chamadas a grandes coisas, mas à santificação na vida simples do dia a dia, a perceber o Cristo em cada olhar e sorriso, a sofrer com Ele e consolá-l’O nos que sofrem e choram, a começar por aqueles que estão mais próximos.
Ajudam-nos neste caminho o testemunho dos santos, primeiro dos Fundadores, que do mesmo Espírito receberam e aprenderam a viver e cultivar o Carisma; a Virgem Santíssima, que melhor do que ninguém amou o Senhor e ainda hoje o faz nascer nos corações; São José, seu Castíssimo esposo, que em seu silêncio amou e educou o Cristo, doando toda a sua vida pelo Reino.
Como toda em Vida Religiosa as Oblatas não são chamadas a fazer, mas a ser! Almas CONSAGRADAS que aceitam SER sacrifício para que o Reino comece aqui.
Por isso vos digo: Sou Oblata, sou feliz!
Venha experimentar, venha ser uma Irmã Oblata do Menino Jesus! 



segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Mês da Bíblia!

"Sede Praticantes da palavra de Deus e não meros ouvintes..." (Tg 1,22)
Como ser praticante da Palavra de Deus??? São João começa seu Evangelho falando do VERBO que se fez carne, que viveu entre nós; ser praticante da Palavra, é então, viver como Cristo, o Verbo de Deus.
A recompensa para quem vive a Palavra é a felicidade, dirá São Tiago no versículo 25. O mês dedicado à Bíblia não teria sentido senão o de nos lembrar da real necessidade de fazer com que a Palavra seja vivida em nós. Todo ser humano anseia por felicidade, e a busca, mas, muitas vezes, recua ante o esforço que supõe a luta para conquistá-la; prova disso é o mundo de facilidades e rapidez que cresce, oferecendo momentos de alegria, que assim como vêm, passam!
Lembremo-nos, porém, de que a felicidade de Deus é uma felicidade plena, que não passa, mesmo diante das dores e sofrimentos, ela pulsa no coração que ama o Senhor.
A Palavra é verdadeiramente viva e eficaz quando, gravado no coração do homem, produz frutos de eternidade; não basta ouvir, é preciso viver para que se fixe na pessoa e então, a Palavra é viva.
Fazendo menção às palavras de SS. o Papa Francisco na JMJ Rio 2013 convido-vos: "Ponha Cristo em tua vida e encontrarás uma amigo em quem confiar sempre, e verás crescer as asas da esperança para percorrer com alegria o caminho do futuro, e tua vida estará cheia de seu amor, será uma vida fecunda". Quem vive com Cristo pode caminha pelo deserto e nunca estará sozinho, Ele é amigo fiel, por isso "ponha Cristo"!
Que este mês seja um tempo de profunda vivência evangélica para que se possa experimentar e comunicar a sua alegria. Que Virgem Maria, Senhora das Dores, que no dia 15 celebraremos, acompanhe seus filhos e plante as sementes do Verbo em cada coração.


Eles também foram chamados!

O direito da primogenitura
Um dia em que Jacó prepara um guisado, voltando Esaú fatigado do campo, disse-lhe: "Deixa-me comer um pouco desta coisa vermelha. Porque estou muito cansado." Jacó respondeu-lhe: "Vende-me primeiro o teu direito de primogenitura."- "Morro de fome, que me importa o meu direito de primogenitura?" Esaú jurou e vendeu o direito a Jacó. Este deu-lhe pão e um prato de lentilhas. (Gn 25)
O que Esaú vendeu não foi qualquer direito; vendeu o sinal da benção; a maior que uma pessoa poderia receber, e vendeu por um mísero prato de lentilhas. Na verdade a atitude de Esaú não está distante de cada ser humano. Quantas pessoas vendem o dom de Deus por um prato de lentilhas!
O que moveu Esaú foi um impulso momentâneo de um desejo de satisfação e prazer, algo bem parecido, senão idêntico ao que a sociedade prega hoje: "Foge da dor, busca o prazer" (Pe. Paulo Ricardo). E para realizar isso as pessoas, são capazes de tudo, até  de considerar aberrações como algo normal. A prostituição, o uso de drogas, o aborto, o homossexualismo, a destruição de povos por outros povos, tudo isso, já não causa mais comoção, aos poucos têm tomado as mentes e vidas das pessoas como "NORMAIS". E assim vão as pessoas vendendo a graça por lentilhas, "que me importa a primogenitura?" Mas os prazeres passam e o que fica? Esquecemos que somos livres em todos os nossos atos, e se vai "fazendo escolhas onde o risco é menor", por falta de compromisso, por medo da exigência. A proposta de Deus é, certamente, muito mais exigente que a do mundo, mas a felicidade é garantida e, o mais importante, eterna!
Assuma pois a tua primogenitura, Deus quer abençoar-te e conduzir-te por seu caminhos, não te deixes iludir pelos pratos de lentilhas que outros te oferecem!